As doenças mais comuns nos primeiros anos de vida da criança - parte 4


Laringite

É a inflamação da laringe, onde ficam as cordas vocais. Mas também sinalizar bronquite, pneumonia e outras infecções respiratórias. Se não for tratada corretamente, pode evoluir para infecções sérias ou causar problemas de voz.

Sintomas: Normalmente não causa dor intensa, mas a criança pode ter dificuldade para engolir alimentos, febre, tosse seca e rouquidão, sendo que a voz muitas vezes some completamente.

Tratamento: Geralmente, são prescritos alguns tipos de corticóides.

Prevenção: Não compartilhar copos e talheres, evitar bebidas muito geladas, não tomar banhos frios, não gritar e usar umidificadores de ar em épocas muito secas.


Amigdalite

É a infecção das amígdalas causada por bactérias ou vírus. Formadas por tecido esponjoso, estas estruturas estão localizadas nos dois lados da garganta. Seu papel é produzir anticorpos para impedir que infecções da garganta, boca e seios da face se espalhem para o corpo.

Sintomas: Dor, febre, inchaço ao lado do pescoço e da mandíbula, dificuldade para engolir, calafrios, dor de cabeça e muscular, mau hálito.

Tratamento: O problema causado por bactérias é tratado com antibióticos. Se for vírus, os remédios indicados irão apenas controlar os sintomas.

Prevenção: Evitar aglomerações e contato com pessoas doentes.


Respiração / Nariz

Ronco noturno, paradas respiratórias, sono agitado e respiração bucal são sintomas da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), que costuma afetar de 0,7% a 3% das crianças. Se o seu filho estiver roncando, leve-o ao médico. Asma e rinite alérgica também são doenças respiratórias muito comuns na infância.


Gripe

Doença respiratória causada por vírus. Como eles sofrem diversas mutações, até que o organismo da criança crie algumas defesas, os episódios são frequentes e só começam a diminuir a partir do terceiro ano. No frio, esta doença pode ser contraída mais facilmente porque as pessoas tendem a ficar em ambientes fechados, facilitando a transmissão do vírus. Eles diminuem a resistência da criança, o que permite a invasão de microorganismos que causam inflamações como amidalite, otite, sinusite, rinite, bronquite e até pneumonia.

Sintomas: Febre, dor de cabeça, nariz escorrendo (coriza), tosse, dor no corpo e inflamação na garganta, entre outros.

Tratamento: Crianças doentes que ainda são amamentadas com leite materno não precisam de outros líquidos. As demais devem ser hidratadas com água e sucos naturais a fim de repor as vitaminas e reforçar o sistema imunológico. Caso a criança apresente febre, deve ser banhada em água morna até que a temperatura diminua. Neste caso, o ideal é usar roupas leves para facilitar a troca de calor do corpo com o meio.

Prevenção: Há vacina contra a gripe. Mesmo assim, não se deve permitir que os pequenos vacinados fiquem em contato com pessoas doentes. Afinal, os vírus sofrem inúmeras mutações e podem infestá-lo.


Bronquiolite

Inflamação pulmonar mais comum em crianças menores de 2 anos, principalmente dos 4 aos 6 meses, causada pelo vírus sincicial respiratório. Como deprime o sistema imunológico da criança, facilita o aparecimento da pneumonia. A doença pode camuflar a asma.

Sintomas: Secreção e congestão nasal, progredindo posteriormente para tosse, dificuldade respiratória e chiadeira. Geralmente, a maior parte das crianças apresenta sintomas leves.

Tratamento: São indicados antitérmicos para baixar a febre. Mas, nos casos em que há dificuldade respiratória, cianose (extremidades dos dedos arroxeadas), a criança tem entre um e quatro meses ou alguma outra doença grave associada, a internação será necessária.

Prevenção: Já existe vacina contra o vírus sincicial respiratório, aplicada em prematuros. Para os demais, ela pode ser aplicada em clínicas particulares. Também, deve-se evitar lugares fechados e o contato com outras crianças doentes.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo