As doenças mais comuns nos primeiros anos de vida da criança - parte 6


Varicela (Catapora)

Doença altamente contagiosa provocada por um vírus do tipo herpes. Em geral é benigna e costuma incomodar pela coceira intensa.

Sintomas: Apresenta-se com pontinhos vermelhos espalhados por todo o corpo ou em regiões específicas, muito parecidos com picadas de inseto. Nessa fase, a doença não costuma ser detectada facilmente. Depois de dois ou três dias, no entanto, as pintinhas crescem e transformam-se em bolhas cheias de um líquido transparente. Além da coceira intensa, é comum a criança também ter febre baixa e se queixar de dor de cabeça.

Tratamento: Uso de antitérmicos, com exceção do ácido acetilsalicílico, que pode causar lesão grave no fígado da criança, e de cremes ou talco mentolado para aliviar a coceira. Quando necessário, o pediatra prescreve antialérgicos de ação sedativa.

Prevenção: Vacinação quando a criança completar um ano de idade.


Dermatite atópica

Inflamação crônica das camadas superficiais da pele, geralmente associada a outros distúrbios alérgicos, embora ainda não se saiba direito à razão. Por isso, é mais comum em quem tem asma ou quando existem asmáticos na família. Estresse emocional, mudanças de temperatura ou de umidade, infecções cutâneas bacterianas e o contato com tecidos irritantes, em especial a lã, estão entre as causas mais comuns. Em bebês, é ainda causada por alergias alimentares.

Sintomas: Os lactentes apresentam erupções cutâneas que formam um tipo de crosta no rosto, no couro cabeludo, na região dos genitais, nas mãos, nos membros superiores, nos pés ou nos membros inferiores. Porém, o problema diminui entre 3 e 4 anos de idade.

Tratamento: Para as crianças maiores os dermatologistas prescrevem cremes ou pomadas de corticosteróides para aliviar a coceira. A água e o sabão e até mesmo a secagem da pele, sobretudo o atrito da toalha, podem ser irritantes. Nesse caso, os banhos devem ser rápidos e menos frequentes, e a pele deve ser seca suavemente, com uma toalha macia e a aplicação de óleos ou lubrificantes não perfumados. Manter as unhas das mãos curtas evita contaminação. E quando há infecção, são prescritos antibióticos.

Prevenção: Evitar o contato com substâncias que sabidamente irritam a pele (como perfumes e loções) normalmente impede a ocorrência de uma erupção. Embora seja difícil controlar a doença, alguns cuidados básicos permitem que seu filho tenha uma vida normal. Entre eles, está o uso limitado de produtos químicos (de higiene e de limpeza). A pele da criança tem de ser hidratada frequentemente e as roupas devem ser, preferencialmente, de algodão. No quarto, nada de bichos de pelúcias, tapetes ou cortinas, porque são depósitos de pó e ácaros. E procure manter a casa sempre limpa.


Brotoejas

Erupção cutânea que afeta bebês e crianças pequenas. É causada pelo suor abundante, que inflama as glândulas sudoríparas, causando irritação e coceira. Muito comum em dias quentes e úmidos.

Sintomas: Áreas vermelhas, com pequenas bolhas no centro. Aparece no rosto, pescoço, ombro, barriga ou peito. Algumas vezes gera coceira e sensação desconfortável, que irrita a criança.

Tratamento: O médico geralmente prescreve um creme específico para uso tópico. No entanto, o amido de milho tem sido usado como forma alternativa de tratamento para o problema.

Prevenção: Procure vestir seu filho com roupas frescas, de preferência feitas de algodão. Se seu filho for propenso à brotoeja, experimente mantê-lo o mais fresco possível, principalmente no verão. Evite situações que façam a criança suar.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo