Modificações e cuidados com o corpo na 1ª a 40ª semana de gestação


A gestação promove alterações tanto físicas como emocionais. Conhecer e aceitar as mudanças tornará sua experiência rica e prazerosa. Algumas alterações que você poderá sentir durante o período gestacional: Modificações e cuidados com o corpo


1ª a 8ª semana

Após a fecundação, o óvulo chega ao útero ao redor de sete dias, ocorrendo à fixação no útero por volta do 10º dia. Nesta fase, inicia-se a diferenciação celular com a formação do saco amniótico, saco vitelino, placenta e embrião. Inicia-se a formação do sistema nervoso ainda primitivo, esqueleto de cartilagem (dedos da mão e pé se formam). Os vasos sanguíneos principais e a batida do coração já estão presentes. A mulher percebe atraso menstrual, pode começar a sentir cansaço, náuseas matinais, aumento e dor nas mamas, cólicas leves, aumento da sensação de fome, urinar com maior frequência e apresentar alterações no estado emocional.


12ª a 16ª semana

No embrião, os músculos começam a funcionar, o sexo já pode ser identificado, os rins já produzem urina. Ao final deste período o embrião possui formas humanas, com cabeça, tronco e membros e com todos os órgãos já formados, porém imaturos. Com 12 semanas o embrião mede em torno de 6,5 centímetros. O fundo uterino começa a sair da pelve materna, a placenta já assume sua função totalmente. Iniciam-se as contrações uterinas de Braxton Hicks que permanecem durante toda a gravidez. As náuseas matinais ainda podem estar presentes, pode ocorrer a retenção de líquidos (inchaços), a vagina fica mais vascularizada, com possível aumento de secreção.


20ª a 24ª semana

O embrião agora se chama feto, a pele é mais grossa e formam-se as impressões digitais, os músculos e sistema nervoso trabalham em conjunto. O vérnix cobre o corpo do feto. O feto dorme, chupa o polegar e dá pontapés. O feto parece vermelho e enrugado, devido aos vasos capilares debaixo da pele e à falta de gordura. Na gestante, as auréolas aumentam e escurecem, ocorrem mudanças na pele podendo aparecer estrias, acne, manchas no rosto e a “linha nigra”. Os movimentos do feto podem ser sentidos. Ocorre o crescimento progressivo do útero, diminuição sensível do mal estar e das náuseas. O peso do útero faz com que a coluna vertebral se curve para frente; as articulações pélvicas começam a relaxar para permitir a passagem do bebê ao nascimento.


28ª a 32ª semana

O peso do feto passa de 300g para cerca de 1700g; amadurecimento progressivo dos órgãos fetais. A gordura se deposita debaixo da pele.

A gestante tem um ganho maior de peso a cada mês; percebe a movimentação fetal com maior facilidade. Podem ocorrer problemas nas gengivas (sangramento); aparecimento do colostro; dificuldade na digestão, devido ao aumento do útero que comprime os órgãos digestivos. Por causa dos hormônios o tônus muscular do sistema digestivo se afrouxa causando prisão de ventre, azia e má digestão. Aumenta a frequência urinária pela compressão do útero. Essa pressão do útero pode causar varizes e hemorróidas.


36ª a 40ª semana

Acontece o amadurecimento final de todos os órgãos, com a possibilidade do feto sobreviver sem o auxílio de UTI a partir da 37ª semana. O feto tem ganho progressivo de tecido adiposo, ficando cada vez mais gordinho. A movimentação fetal fica mais vigorosa. O peso é em torno de 3200g e o comprimento é de 49cm ao final de 40ª semana. Os anticorpos da mãe são recebidos e o feto se posiciona adequadamente para o parto.

A gestante começa a sentir progressiva sensação de pressão e dor em baixo ventre, devido à descida do bebê para a pelve. O sono fica mais leve, acordando várias vezes pelo movimento fetal ou para urinar. As contrações de Braxton Hicks se intensificam à medida que o útero e o colo se preparam para o trabalho de parto. Pode ocorrer piora dos problemas digestivos (azia).

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo