Quinta semana de gestação


5ª semana de gestação


A gestante

Parabéns mamãe! Geralmente é nessa semana que se descobre realmente que está grávida. E é também nessa semana que começam algumas mudanças como alterações no humor, uma vontade imensa de urinar, enjôos frequentes, o olfato fica mais apurado, as unhas podem ficar mais resistentes.

O bebê

Nessa semana, o zigoto já é chamado de embrião e mede 2mm. O esqueleto do bebê começa a se formar, assim como o coração. O sistema nervoso central (base para o cérebro e medula espinhal) e músculos ganham forma.

IMPORTANTE: Depois de ter a gravidez diagnosticada, é hora de programar o pré-natal. Tire todas as dúvidas na primeira consulta e solicite exames laboratoriais de rotina para a identificação de possíveis patologias que possam gerar problemas no decorrer da gestação como anemia, infecção urinária, sífilis, rubéola, toxoplasmose, AIDS, diabetes.

Mamãe que sofre com os enjôos, não fique muito tempo sem comer. Coma, pelo menos, de três em três horas. Alimente-se de forma saudável. Evite gorduras e beba bastante líquido (não quando estiver enjoada).

E em hipótese alguma tome remédios sem consultar o médico, pois eles podem atrapalhar o desenvolvimento do seu bebê.

É BOM SABER

O uso de tinturas, alisantes ou qualquer produto químico no cabelo é prejudicial ao bebê, pois substâncias entram na corrente sanguínea da mamãe e podem chegar até o feto. Peça orientação ao médico de quais produtos e a partir de quando usar.

EXAMES DESSA FASE:

Ultrassonografia intravaginal (Entre 5ª e a 8ª semana de gestação) Visualizar o embrião e o saco gestacional, calcular o tempo de gravidez e a data provável do parto. Normalmente, será realizado após a sexta semana, possibilitando ouvir os batimentos cardíacos do embrião.

Sangue Determinar o tipo sanguíneo da gestante (importante para outras providências, caso o fator Rh seja negativo), dosar hormônios e anticorpos da tireóide, detectar possíveis infecções (como sífilis, HIV, hepatites A, B e C), verificar se a gestante não tem anemia, dosar os níveis de açúcar no sangue e definir se a paciente corre ou não o risco de contrair doenças como rubéola, citomegalovirose e toxoplasmose. Também é feita uma pesquisa de trombofilias congênitas, essencial para prevenir o trabalho de parto prematuro e alertar para doenças hipertensivas da gestação, como pré-eclâmpsia e help síndrome, que podem causar óbito fetal. A critério do médico, o exame de sangue pode ser repetido várias vezes ao longo da gestação, mas deve ser solicitado, no mínimo, uma vez a cada trimestre. 

Urina Detectar uma eventual infecção urinária e a presença de proteínas que podem indicar tendência a desenvolver pré-eclâmpsia. Útil também no acompanhamento de gestantes diabéticas.

Fezes Investigar a presença de parasitas no intestino que podem provocar, entre outros problemas, anemia. 

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo