Sétima semana de gestação


7ª semana de gestação


A gestante

Nesta etapa, os seios continuam crescendo e é possível que a futura mamãe se sinta mais sensível e sonolenta. É fundamental dormir no mínimo oito horas por noite. As mudanças do corpo da mulher ainda não são notadas pelos outros. Se a prisão de ventre for muito incômoda, tome muito líquido e coma alimentos ricos em fibras.


O bebê

Há um crescimento rápido do embrião. Ao fim da sétima semana o embrião pode chegar a 13mm e pode pesar 0,8g.

Pulmões, rins e órgão sexual interno estão quase formados. Através da ultrassonografia endovaginal é possível perceber os olhos, orelhas e boca. O coração bate a 150 batimentos por minuto e já faz circular sangue pelo corpo.

O cordão umbilical desenvolve-se e a placenta está pronta. Os primeiros movimentos começam, mas ainda não são sentidos pela mamãe.

IMPORTANTE: Há exames específicos que servem para descobrir se há algum risco de o bebê nascer com problema genético ou congênito. São exames escolhidos dependendo da idade e saúde materna e do histórico familiar do casal. Converse com seu médico e verifique se são necessários para você.

ATENÇÃO AO SEU TIPO SANGUÍNEO

Se o tipo sanguíneo da mãe for RH negativo, ela precisa ficar atenta. Se for a primeira gravidez da mamãe e o bebê tiver o RH positivo, não haverá problemas, pois o corpo dela reagirá com a formação de anticorpos para o tipo de sangue RH positivo.

Mas se for a segunda gravidez, os anticorpos já existentes da primeira gestação irão atacar o sangue RH positivo do bebê, provocando eritroblastose fetal, que causará anemia profunda, surdez e deficiência mental no bebê.

Diante disso, a mãe deve procurar um médico para saber seu tipo sanguíneo e fazer exames no primeiro e último trimestre da gestação e se preciso tomar uma vacina para prevenir esse problema.

Teste de Coombs

Quando o fator Rh da mãe é negativo e o do pai positivo, a médico deve solicitar esse teste, feito por exame de sangue. Ele revela se houve contato entre o sangue materno e o do bebê para que seja iniciado o tratamento antes que o feto se prejudique. Isso porque a incompatibilidade sanguínea pode levar à eritroblastose fetal, quando o corpo da mãe destrói as hemoglobinas do bebê e pode levar à morte. Esse exame é realizado mensalmente, em jejum de três horas.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo